Páginas

terça-feira, 13 de abril de 2010

Amor incodicional

Era um dia diferente de todos os outros. Eu achava que o mundo iria acabar. Tive medo, papai. Você me disse que ia ficar tudo bem e eu acreditei. Eu só não queria te perder. Por um momento ouvi os gritos dos vizinhos e senti um grande arrepio. Eram as nossas casas que estavam desmorando... (leve suspiro) ...
Papai, por que isso aconteceu? Tínhamos tantos planos. (lágrimas rolam pelo rosto) Eu tenho que te dizer que tive esperança de que tudo acabasse quando vi os "homens" chegando e tentando me ajudar.
Mas meu pai, por que tu estavas gritando? Iria ficar tudo bem .. Bom, pelo menos eu achava. (lágrimas se tornam a cada vez mais constantes) ... O tempo passava e eu ia ficando a cada vez mais cansado. Os entulhos e o resto do deslizamento quase me cobriam por completo. (Ele diz .. não, filho .. eu ... seguido de mais suspiros acompanhados de lágrimas ...)
Papai, eu não conseguia mais falar direito, mas consegui dizer .. (Ele para, fecha os olhos e por um minuto relembra os momentos sofridos.. Nesse momento, as lágrimas não cessam.)
.. Quando te olhei e percebi que tu estavas tentando me encontrar, eu disse .. "Me tire daqui. Eu tô aqui, pai. Me tira daqui logo.." Minhas esperanças se acabaram, quando 18:30h pararam as buscas por causa de outro deslizamento... Que triste, papai ... todos os nossos vizinhos e amigos estavam na mesma situação que eu... Mas eu sabia que eu tinha você comigo e por isso não desisti.
Papai, por que não me tiraram de lá logo? Eu queria te abraçar ... (Filho... te amo tanto.. por que me deixou? ...) Eu tentei te esperar, mas não deu tempo. Eu não consegui ficar acordado. Eu estava morrendo papai, e o senhor não sabe o quanto isso me deixava triste ...
Queria te dizer tchau ... Mas de repente tudo se tornou escuro e eu não consegui mais o dom de viver..
(Ele para novamente e começa a gritar no lugar onde estava... Nããããoo! Te amo muito! Nunca te esquecerei, você sabe... Te amo meu amor, mais do que você imagina! ... Talvez ele sentisse que poderia trazer seu filho de volta, mas não poderia. Ele se foi... )
Papai, quando recomeçaram as buscas e os "homens" me pegaram, eu senti nos últimos resquícios de alma que tu me amavas. E tu me abraçou e chorou. Então, não pude sentir mais nada ...
Te amo papai. Sinto tua falta...
(O homem fecha o papel que estava na mão e chora desesperadamente... Ainda não tinha superado a grande perda...)
Filho ... Meu filho ... querido filho ... Quando tu se foi, minhas alegrias foram junto... Esse ano seria mais um natal que passaríamos juntos... Eu estava animado para um grande ano de 2010... Quando te peguei nos braços e te abracei... Te abracei tão forte... Não queria te perder... Ainda não entendo o porquê de teres me deixado... Fiquei desesperado! Chorei muito, convulsivamente ... Apesar de todos os bombeiros e de como eles me ajudaram a suportar... eu não pude deixar de dizer..
"Meu filho, eu te amo"

Baseado em fatos reais. Texto fictício baseado em reportagem da revista ISTOÉ que relatou a tragédia que se abateu sobre o Rio de Janeiro nos últimos dias.
Fiquei muito sensibilizado com a história que li na ISTOÉ e as muitas outras histórias tristes... Quando estava escrevendo este post, senti uma pontada de tristeza... A reportagem da ISTOÉ pode ser encontrada na própria revista ou vocês podem encontrar no site (istoe.com.br) alguma informação.

Maurício Maia Neto, texto original. (baseado em fatos reais)

atualização dia 15/04;
Bombeiro tenta consolar o Pai que perdeu o filho na tragédia do Rio de Janeiro.
Fonte: istoe.com.br

3 comentários:

Carol disse...

muito lindo , deu vontade de chorar, juro. *-*

Deus,centro da minha vida disse...

Que triste história, porém emocionante.
Este é mais um caso entre muitos que emociona e entristeci ao mesmo tempo.
EMOCIONOU ):
Imagina só o sentimento que esse pai ficou,ninguém merece estar na pele do mesmo,nem ele mesmo merece.

Só Deus para acalentar...

Maurício Maia disse...

concordo.
:D
obr e volte sempre...